quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

e esta, hein? #1 - dr. bayard

Decidi começar uma nova rubrica no blog. Eu sou, por natureza, uma pessoa curiosa e adoro saber a origem de tudo o que está à minha volta, bem como tudo o que tem a ver com ciência, novas tecnologias e medicina alternativa. Por isso, achei engraçado postar algumas curiosidades. Que me dizem?

Vou começar com os Rebuçados do Dr. Bayard. Estes rebuçados têm sido os meus melhores amigos nos últimos dias em que pareço um cão a tossir incessantemente. Então a minha mãe decidiu contar-me a história destas delícias curandeiras, que ouviu na Antena 3.


Este Dr. Bayard era um judeu francês que fugia à II Guerra Mundial e que veio a refugiar-se em Portugal que, como sabem, não se meteu nessa parvoíce da guerra e, portanto, serviu como abrigo de muitos refugiados. Embora eu não encontre informação na Internet sobre isso, ao que parece o Dr. Bayard não era médico, apenas tinha uma receita na família para quando a gripe e as dores de garganta atacavam... 

Estamos então no ano de 1939 e Álvaro Matias, um português que trabalhava numa mercearia onde o Dr. Bayard era cliente assíduo, começou a criar laços de amizade com o francês, aprendendo mesmo um pouco da língua. Entretanto, a situação económica de Dr. Bayard alterou-se e passou a ser Álvaro a fornecer as mercearias para o sustento da família francesa. 



Com o fim da Guerra, Dr. Bayard e a sua família regressaram a França, dando a Álvaro a receita de família dos rebuçados, a única coisa de valor que ainda possuía, como gesto de gratidão. Álvaro começou a produzi-los em casa, com ajuda da sua família e, quando o negócio começou a prosperar, sentiu necessidade de industrializar a produção.

Assim, desde 1949 que a receita se mantém inalterável.

5 comentários:

teardrop disse...

Eu gosto muito dos rebuçados... fazem-me lembrar a minha infância e os meus avós!

Ana disse...

Tens razão, obrigada :)
Adoro esses rebuçados! :)

Adriana disse...

Como eu te entendo, mas não sei mesmo que fazer. Eu apenas chego a casa, quarto, fones e estou no meu mundo, prefiro assim, só eu, do que confusões e discussões.
eu adoro esses rebuçados!

Márcia V. disse...

Não fzia ideia da origem dos rebuçados mas eles fazem parte da infancia de muitos de nos.

Emilie disse...

Muito giro! Não fazia ideia.
Gosto imenso desses rebuçados :D