quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

segundos que marcam.


O seu sorriso apanha-me desprevenida. Palavras humildes que se soltam numa voz doce. Um olhar carinhoso cheio de vida e optimismo que, no entanto, não revela os seus segredos. É desconcertante esta energia misteriosa e, ao mesmo tempo, tão simples. Mexe e remexe com os meus pensamentos, dá-me ganas de ser mais e melhor, sem nunca esquecer as minhas origens. É surreal como alguém nos consegue arrepiar desta maneira só pelo exemplo de pessoa que é. Eu sinto-me abençoada por ter a oportunidade de conhecer alguém assim. Tão simples, tão humilde, tão positiva. 

A cada dia que passa, sinto-me mais livre. Livre das correntes que me puseram e das âncoras que deixei cair, na esperança de aprender a ser feliz. Passei uma vida inteira em busca das lições de felicidade, mas hoje descobri que isso não se aprende. É uma forma de vida, algo que acaba por estar intrínseco a nós, como que impregnado na nossa pele. Não interessa o que aconteça, há sempre algo bom. E dar valor a isso e viver assim é a verdadeira liberdade. 

E tenho muito a agradecer a quem me ensinou, mesmo sem saber, a ser assim. Muito. Mesmo.

2 comentários:

RitaValente disse...

Mas, quando se ama, não importa mais o quanto se sofre. Pq... Às vezes ficar sem a relação, faz sofrer mais ainda.

Letícia ∞ disse...

Nós criamos a nossa felicidade! :)

Beijito*