sexta-feira, 29 de março de 2013

todos os dias, algo novo #3

O "meu" carro (porque na realidade não é meu) sempre foi de paranóias. Tem um feitio, digamos, difícil. Para já, tem sempre alguma coisa de mal com ele. Ora são as luzes fundidas (é um Peugeot e, aparentemente, é um problema geral desta marca), ora são os apitos que dá sem nenhum aviso estar no ecrã, ora é o problema nos injectores do motor, ora é a valente mossa que tem numa das portas provocada por um esperto qualquer que bateu e pôs-se na alheta, entre muitos riscos feitos de propósito e vidros que depois de abrirem não fecham. 

Quem vê o meu carro e me vê a sair dele deve achar que eu sou louca na estrada ou que sou daquelas chungas que só quando o carro estiver completamente partido, por dentro e por fora, é que vai tratar dele. Mas não, é mesmo porque o dinheiro não estica e só o problema do motor é coisa para custar acima de 300€, quanto mais o resto... 

A mossa da porta vai ser resolvida quando algum carapau de corrida na estrada entrar na rotunda a abrir e eu já lá estiver dentro, "não tiver tempo de reacção para travar" e puff. Mas adiante, tudo isto para dizer também que este meu amigo também tem histerias com o alarme do carro. Para já, se usarmos a chave de substituição, o alarme dispara logo e só se cala depois de voltar a fechar o carro e de termos os cabelos em pé por estarmos a passar por ladrões.


Mas ontem, foi a primeira vez que, perto da 1h da manhã, o estúpido decidiu ter uma paranóia, perto do Casino e, por sua vez, de chungas que por lá passeavam. Simplesmente abri o carro, entrei, fechei a porta e tranquei-a logo porque tinha um grupo com mais pessoas do que eu só a olharem para mim e para o meu carro e isso é coisa para não me sentir na maior das seguranças. Tumbas. Alarme a gritar como se eu o estivesse a torturar. Depois parou. Liguei o carro e toma lá outra vez. Mas depois o idiota parava sempre que eu punha o pé no travão. 

Desliguei o carro outra vez. Liguei. Uéu uéu uéu uéu. Travão. Marcha atrás engatada. Desligo outra vez e destranco a porta. Uéu uéu uéu uéu. Ligo o carro e decido que vou a apitar até casa porque, mal por mal, quando o carro estava desligado não apitava. Tranco e destranco a porta, desço a rua até ao deck e de repente o bicho cala-se.

Conclusão: a única coisa que fiz de diferente foi trancar as portas antes de meter a chave na ignição, portanto só pode ter sido isso. E isto até pode ser óbvio para os entendidos, mas eu que não percebo nada de carros não sabia que fazer isto accionava o alarme. E continuo sem saber, porque o meu carro é bipolar e é quando lhe dá na bola. Mas pronto, agora percebo (acho) que é capaz de ser para o caso de algum espertinho me entrar pelo carro adentro antes de mim quando eu o destranco e ele trancar para fazer aquelas coisas mega rebeldes com os fios e fugir com o carro. 

Só pode.

1 comentário:

Márcia V. disse...

O teu carro é super estranho,mas enquanto andar já não é mau de todo.