terça-feira, 5 de março de 2013

vidas alternativas.

fotografia por Oriana Borges
Nem sei como começar este post. Estou embalada pela melodia do handpan a par com o baixo, misturados na natureza. Apresento-vos o Kabeção Rodrigues, que não conheço pessoalmente mas que gostava. Apresento-vos também o Addario de quem nunca tinha ouvido falar mas que gostei muito neste vídeo. Apresento-vos, por fim, a Oriana, a rapariga da fotografia acima, que penso ser mais nova do que eu mas que me inspira.


São pessoas que, para mim, são diferentes do que o que eu conheço. Transmitem-me uma paz e serenidade imensa, uma comunhão com a natureza como a que eu gostava de ter e não tenho por pura parvoíce, um estilo de vida que eu gostava de conhecer e experimentar mesmo que por breves momentos. São artistas e humanos. Não os posso "julgar" como pessoas pois, como já disse, não os conheço. Mas do que me parece, são pessoas que fogem às "leis" da sociedade, que não se resignam, não se deixam definir pelo que os outros dizem ou fazem deles. E isso, aos meus olhos, torna-os belos.

fotografia por Oriana Borges
Belos porque seguem o seu coração, dedicam-se ao outro, seja o outro de que espécie for, têm uma filosofia de vida enraizada em si mesmos e fortes personalidades que não se deixam abater por opiniões ou guerras alheias. Eu não os conheço, mas penso não estar enganada.

E isso desperta em mim uma admiração sem fim, porque conheço muito poucas pessoas assim e tenho muito a aprender com elas, até encontrar o meu próprio caminho.

1 comentário:

Márcia V. disse...

Nem sempre o que é diferente do habitual é mau,e cada um deve viver da maneira que lhe faz feliz.