domingo, 14 de abril de 2013

eu tenho uma certa atracção pelo desastre.


Como eu disse no Facebook, há quem tenha um dom para dançar, eu tenho um dom para me magoar. Então não é que no ensaio geral, faço voar (literalmente) uma mesa do Ikea ao atingi-la com o meu pé? Claro que no resto da coreografia andei a praguejar interiormente de dor. E pobre da minha amiga que também se magoou à pala da brincadeira. 

Quando vou ver o pé ele é sangue pisado, ele é um inchaço enorme e quando fui passar água fria por não saber que havia gelo no ginásio olho para o dedo mindinho do pé e parece-me todo torto e, pior, partido... Mas afinal não, o inchaço é que parecia fazer o dedo deficiente. 

E pronto, depois lá encontrei gelo e passei Voltaren e agora ando nisto do gelo e Voltaren para conseguir andar sem dores. Já em Julho fiquei sem metade da unha do dedo grande do (mesmo) pé também a dançar. Há 3 anos levei com uma gadanha na cabeça (é só uma espécie de uma foice! História relatada aqui e aqui). Isso e outras inúmeras vezes em que me magoo com menos gravidade.

2 comentários:

Susana Mil-Homens disse...

Vamos passar a proteger melhor esses pés!!! ;)

Márcia V. disse...

Nunca tinha ouvido falar do The Blind Dinner,mas parece ser algo bem interessante.
Quanto a lesão fazes-me lembrar alguém que conheço que não precisa de ninguém para se aleijar que faz isso bem sozinha ;)
As melhoras.