segunda-feira, 8 de outubro de 2012

das 101 coisas para fazer em 366 dias - random III.

61. Arranjar mais tempo para as pessoas da minha vida. 

Este foi o ano em que percebi que os amigos são as pessoas mais importantes da nossa vida, a seguir à família. E que para um amigo, há sempre tempo para um café ou pelo menos para uma mensagem a perguntar como está tudo. Decidi voltar ao que eu era há dois anos atrás com amigos, e compensá-los toda a minha estúpida ausência. 



74. Fazer uma surpresa a alguém. 

Um pouco à semelhança do ano passado, o aniversário da Frazão foi uma surpresa. No McDonalds de Santos. Mas desta vez consegui que o Bruno Nogueira lhe desse os parabéns, mesmo que tenha sido só por escrito e com direito a autógrafo. 



E como quem faz uma, participa em duas, a minha irmã de alma também teve direito a surpresa, na Praia de São Pedro. É pena não haver registo fotográfico.


80. Atingir o meu peso ideal. 

Quando defini este objectivo, ao contrário do que geralmente acontece, eu estava demasiado magra. O stress, uma quase-depressão, poucas horas de sono e péssima alimentação levaram-me abaixo dos 50 kg.  Embora tudo tivesse começado no pior Verão de sempre (2010) em que emagreci 10 kg em três meses sem o querer, depois de ter voltado a engordar a vida voltou a cair-me em cima e eu voltei a deixar-me ir. Com a ajuda da Sara, comecei uma dieta para engordar. Foi o que me safou. 

Agora estou com 54 kg, comecei a fazer desporto e a tratar muito melhor de mim.


95. Arranjar um disco externo e copiar todos os meus documentos para lá. 

Depois de um belo susto, lá o fiz.


96. Conhecer uma pessoa marcante.

Ele.
Quando o conheci nunca me passou pela cabeça que algum dia acabaríamos juntos. No primeiro semestre, praticamente nem falávamos. No segundo... Em Março começámos a falar... Pediu-me para ler a carta de motivação para o Erasmus e eu corrigi. Comecei a falar mais com ele, a conhece-lo melhor. Vi nele uma pessoa como nunca tinha visto, realmente bondoso, dedicado, óptimo amigo, fiel, carinhoso, optimista, pacífico, sempre com um sorriso na cara e, acima de tudo, genuíno. Nada ali era falso. Nada ali é falso. 

Nem sei quando nem como tudo realmente começou, as conversas importantes, as partilhas das histórias da nossa vida, as brincadeiras, as gargalhadas... Sei que foi a partir dessa altura que começámos a criar uma grande amizade. Que uns poucos meses mais tarde se transformou em borboletas na barriga, em mensagens grandes, em telefonemas noite fora. Ia para a faculdade sempre com um sorriso, gostava de estar nas aulas porque me sentava ao pé dele e de vez em quando recebia um miminho... E ele começou a devolver-me tudo o que eu era, sem nunca ter feito nada para me tirar isso. 

É, sem dúvida, uma pessoa marcante. 
Foi, sem dúvida, a pessoa que mudou a minha vida.

3 comentários:

Tânia Gil disse...

É sempre bom quando vamos conseguindo atingir os nossos objectivos, as nossas metas :)
Obrigada, eu também gosto imenso do teu blog*

Pérola disse...

Uma história devida ainda com muitas páginas por preencher.
Gostei muito, principalmente da autenticidade.

Beijinho

Marga disse...

Obrigada meninas :)