domingo, 20 de janeiro de 2013

mlf.

Perdi uma das pessoas que me era mais importante. Ou melhor, ele perdeu-me. Não soube ser leal. Não soube confiar nem ser de confiança. Não soube ser o que eu lhe chamava, melhor amigo. Nem amigo. Porque me traiu várias vezes, com atitudes. Porque os amigos também traem. Mas acabam por deixar de ser amigos. É uma mágoa na minha vida. Muito maior do que a de qualquer namorado que tenha tido até agora.

Como sempre, ele consegue transmitir por palavras o que o meu coração não quer soltar. Duarte, continuas autêntico :)




Inacreditável como as coisas mudam. Como, de facto, as pessoas mudam - e como, de certa forma paradoxal, sempre foram daquela maneira. Não há muito a dizer: decerto já dissemos tudo o que tínhamos a dizer. O tempo mata as mágoas do que foi um erro. E só o mesmo tempo ditará para onde vamos, para onde vais. Juntos ou separados, cada um prosseguirá o seu caminho, em frente. 

(...) Como o mundo dá voltas. E como essas voltas são proporcionais às que eu tenho na cabeça.

1 comentário:

Márcia V. disse...

As vezes doí mesmo mais quando perdemos um amigo do que quando perdemos uma namorado(a),mas neste caso parece que ele é que te perdeu e isso custa tanto,doí perceber o quanto as pessoas mudam.